TOYOTA PRIUS COM TECNOLOGIA HÍBRIDA

O híbrido da Toyota vai além da economia de combustível: quarta geração garante maturidade ao modelo

A quarta geração do Prius apresenta um visual mais radical, apostando em linhas fortes e ângulos agudos na carroceria. Houve revisão do motor e do câmbio, mas permanece o mesmo conjunto da versão anterior que já era oferecida no Brasil.

Por baixo do capô

O motor 1.8 a combustão roda apenas com gasolina e gera 98 cv de potência e 14,2 kgfm de torque. O motor elétrico sozinho tem 72 cv e 16 kgfm. Apesar de funcionarem de maneira paralela, a potência dos propulsores não é simplesmente somada. Assim, a potência total do conjunto é de 123 cv. A única opção de câmbio é um automático de relações continuamente variáveis (CVT), assim como já ocorria na geração anterior do carro. Segundo a fabricante, a eficiência do modelo melhorou em mais de 40%, colocando o propulsor a gasolina no mesmo patamar de motores a diesel, mais eficientes.

Mais do Prius

Por fora, o Prius ganhou linhas futuristas com faróis, para-choques, luzes de neblina e lanternas traseiras redesenhadas. O modelo também adota uma nova plataforma global chamada TNGA que permitiu aumentar seu comprimento em 60 mm e sua largura em 15 mm. A altura, por outro lado, diminuiu 20 mm. A única medida que não sofreu alteração foi o entre-eixos de 2,70 m, o que não deve alterar o espaço interno, garante a fabricante.

A quarta geração do híbrido tem 4,5 m de comprimento, 1,8 m de largura, 1,5 m de altura e 2,7 m de entre-eixos. Com a alocação das baterias sob o banco de trás, há mais espeaço no bagageiro e agora o Prius pode levar até 412 litros no porta-malas. O modelo pesa exatos 1.400 kg. Vendido em versão única de acabamento, a lista de equipamentos de série inclui direção elétrica progressiva, sete airbags, controle de estabilidade e tração, ar-condicionado automático de duas zonas, rodas aro 15, carregador sem fio para smartphones, piloto automático, heads-up display (projeta informações do painel no para-brisa), chave presencial, tela multimídia de 7 polegadas com conectividade via Bluetooth e USB, navegação por GPS, faróis de LED e acionamento elétrico de vidros, travas e espelhos.

Vale lembrar que nas cidades do Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP), donos de carros híbridos têm direito a pedir reembolso de 50% do valor do IPVA. Na capital paulista ainda há isenção do rodízio municipal de veículos.

Passado

O híbrido Toyota Prius desembarcou no Brasil em janeiro de 2013. O Prius, lançado no Japão em 1997, foi o primeiro modelo de veículo com este tipo de motorização a ser produzido em série. Em 2008, as vendas do Prius atingiram 1 milhão de unidades, o que fez dele um ícone entre os carros verdes. A quarta geração foi lançada no País em meados de 2016.

Como ele economiza?

A escolha pelo funcionamento da bateria de 72 cv (16,6 kgfm) ou pelo motor 1.8 de 98 cv de potência (14,2 kgfm) é feita por meio de um gerenciamento eletrônico. De uma forma resumida, até 40 km/h, o carro funciona de forma elétrica (o carregamento da bateria é feita durante as frenagens, quando se tranforma a energia cinética em elétrica), entre 40 km/h e 70 km/h, o uso é misto (a potência combianda é de 123 cv) e, a partir daí, o motor a gasolina entra em operação.

Todo o processo de troca de propulsão é mostrado no computador de bordo. Dá para ver quanto a bateria foi carregada, quanto se gastou de combustível e de que forma o motorista pode ser mais econômico na condução. No modo elétrico, o Prius, de tão silencioso, toca um bip quando a ré é acionada e, dessa forma, tomar a atenção do condutor em relação a pedestres que possam estar em volta e não tenham ouvido a aproximação do veículo.

Fonte: Toyota

Espero que tenham gostado da dica de hoje! Testado a aprovado #fofuxaindica

Bjs fofuxos,

Raquel Pereira

Deixe uma resposta